28 jul 10

Da TV para o Twitter, a paraguaia virou celebridade e agora lucra com gordos cachês, reafirmando o potencial das redes sociais para os negócios

Por Simão Mairins, www.administradores.com.br

 

Não se sabe até quando vão durar os minutos de fama de Larissa Riquelme, a namoradinha da Copa da África. Mas uma coisa é certa: a paraguaia está sabendo aproveitá-los muito bem. Só no Brasil, a musa tem aparecido em programas de TV, posou para sites sensuais, estrela campanhas publicitárias e cogita-se, até mesmo, sua participação no carnaval carioca em 2011. Junto a isso, evidentemente, seguem cachês e mais cachês que vão enchendo o bolso (ou o decote!) da modelo. Mas, por que ela? 

Nas arquibancadas dos estádios sul-africanos não faltaram mulheres bonitas, muito bonitas (as holandesas que o digam!). Então, por que, entre tantas, só Larissa Riquelme virou estrela? Motivos não faltam, a começar pelo apelo do aparelho celular guardado entre os seios, chamando atenção para um belo decote, e as promessas de posar nua, caso sua Seleção fosse campeã. No entanto, sem dúvidas, grande parte do mérito pela transformação da paraguaia em uma celebridade deveu-se à constante interação via web com os recém-adquiridos fãs, que, no Brasil, a colocaram nos Trending Topics do Twitter junto ao também internacionalmente repercutido “Cala a boca Galvão”. 

“O caso da Larissa Riquelme é interessante. Ela ganhou notoriedade com repercussão mundial, mesmo sendo de um país bastante desconhecido do público em geral”, destaca Eduardo Marques, gestor de projetos web da dBrain, agência especializada em marketing de canais. 

“A Larissa Riquelme é mais um grande exemplo de como as celebridades (ou aspirantes a celebridade) podem se utilizar das redes sociais para alavancar suas carreiras”, explica Roberto Grosman, responsável pela divisão de mídia e business da F.biz, empresa especializada em interatividade para negócios. 

“A imagem de mulher latina, sensual, torcedora fanática, cai como um estereótipo perfeito para uma Copa do Mundo”, afirma Eduardo Marques, para quem, no entanto, o ponto chave foi a forma como a imagem da paraguaia se disseminou pelo mundo. “O grande diferencial que vejo aqui é que quem a colocou em destaque, a colocou mais pelo conjunto de fatores que construíram a imagem dela na ocasião. Assim começa uma ‘mídia espontânea’, replicada por milhares de pessoas pelo mundo”, explica o gestor da dBrain. 

Exposta na TV durante o maior evento esportivo do mundo e repercutida no Twitter – que mesmo com um número menor de usuários, ficou à frente do Facebook no ranking Media 100 do diário britânico The Guardian, justamente por ter maior capacidade de difundir rapidamente mensagens – Larissa Riquelme não precisou se esforçar muito. 

Informalidade é a regra na web 

O trabalho começou pra valer depois do mundial. Mesmo depois da Copa, a paraguaia continua angariando seguidores no Twitter e roubando a cena com fotos postadas na rede de microblogs e no Facebook. Na passagem pelo Brasil, recentemente, a musa fez questão de deixar todos atualizados de cada passo que deu, sempre em tom informal, tentando parecer bem próxima dos internautas. 

“Para se manter entre os assuntos mais falados ‘espontaneamente’ pelos internautas, tem-se que despertar paixões, sentimentos”, afirma Eduardo Marques, gestor de projetos web da dBrain, agência especializada em marketing de canais. “Fazer isso de uma maneira muito planejada não é uma opção viável porque certamente soará falso e, credibilidade é algo muito valorizado pelo público que temos hoje”, ressalta Marques. 

A revolução da rede e as novas celebridades 

Com a democratização da produção e do acesso a conteúdos, através da internet, muita gente virou celebridade da noite para o dia. “Uma das grandes mudanças que a web introduziu, e que as mídias sociais potencializaram, é a transformação de qualquer pessoa num produtor de conteúdo ou editor”, afirma Roberto Grosman. 

Mesmo sem nunca ter aparecido na televisão, por exemplo – o meio que, historicamente, deteve o maior poder de repercussão de mensagens no mundo – figuras como Sthefany (a do Cross Fox), a Gaga de Ilhéus (que hoje integra a equipe do Show do Tom, na Record) e Tessália Serighelli (que passou de tuiteira a BBB) alcançaram a fama. 

“Agora, qualquer pessoa tem acesso aos meios e ferramentas para gerar conteúdo. Com um celular razoável (que já vem com câmera e vídeo) e acesso ao YouTube ou Twitter, qualquer um se torna um potencial gerador de conteúdo”, explica o executivo da F.biz.

Related Posts with Thumbnails
  • Facebook
  • Twitter
  • Email
  • Digg
  • Google Buzz
  • Orkut
  • LinkedIn

Filed under: COMPORTAMENTO,negócios,Notícias Internacionais

Trackback Uri





Deixe um comentário