Cursos 24 Horas

Cursos Online 24 Horas

Cursos Online com Certificado - Educação a Distância - Cursos 24 Horas

 

Como amortizar dívidas de períodos passados com os resultados atuais?

Atualmente, grande parte das empresas apresentam dificuldades financeiras. Parte destas dificuldades são ocasionadas por razões atuais, ou seja, geradas nos períodos mais recentes.

No entanto, algumas empresas enfrentam dificuldades financeiras, devido a compromissos de pagamentos que devem ser honrados na atualidade, mas que foram ocasionados ou gerados em períodos passados, ou seja, não recentes.

Como exemplo de tipos de compromissos ou dívidas financeiras passadas podemos citar:
- Parcelamento de dívidas de impostos em atraso;
- Parcelamento de dívidas junto a fornecedores;
- Parcelamento junto a antigos proprietários da empresa, no caso de aquisição da empresa de outro proprietário, pagando pela aquisição com parte dos resultados atuais;
- Parcelamento de dívidas de obrigações fiscais e burocráticas não cumpridas, entre outros.

Independente desses compromissos ou dívidas financeiras terem sido gerados recentemente ou não, elas precisam ser honradas pela empresa, pois esta poderá sofrer processos de cobranças por parte dos credores, o que dificultará sua situação de atuação no mercado.


Como obter a informação da capacidade de pagamento destes compromissos passados com os resultados atuais e como planejá-los? Seguem algumas orientações:

1) Para que haja capacidade de pagamento é preciso que haja resultados positivos, ou seja, lucro. logo, é importantíssimo obter a informação se a empresa gera lucro, para poder suportar um aumento de suas despesas.

2) É muito importante saber a situação de saldos de caixa e bancos da empresa, ou seja, os recursos financeiros que a empresa tem disponível para saldar seus compromissos. Deve ser elaborado um Fluxo de Caixa para poder avaliar o impacto de um novo tipo de despesa na caixa e poder decidir qual a melhor data para poder honrá-lo, evitando assim, que haja uma falta de recursos financeiros no caixa ou no banco, forçando a empresa a utilizar recursos de terceiros.

3) Estabeleça um ranking dos compromissos, por ordem de risco de comprometimento de seus negócios. Por exemplo, dando prioridade aos fornecedores, a empresa pode restabelecer seu crédito junto a eles e poder continuar comprando normalmente e com vantagens, ou, priorizando os compromissos que são corrigidos por taxas de juros mais elevadas, a empresa estará quitando primeiro os compromissos mais caros.

4) Tente negociar ou renegociar com os credores, uma maior extensão dos prazos concedidos por eles para pagamento, pois isso representará uma necessidade menor de desembolsos imediatos de recursos financeiros.

5) Tente negociar ou renegociar também, as taxas de juros aplicadas nos parcelamentos, buscando sempre obter a menor taxa possível. Quanto maior for a taxa, maior será a correção do valor parcelado e do valor das parcelas.

6) Analise, caso haja a possibilidade, de se desfazer de bens ou patrimônios pessoais, para investir na empresa, diminuindo assim, os compromissos e os desembolsos de caixa ou banco.

Nestes casos, deve-se avaliar se a remuneração do capital investido, oferecida pela empresa, será maior que a remuneração proporcionada pelo tipo de investimento feito no patrimônio pessoal.

Dessa maneira o empresário poderá decidir se a empresa poderá cumprir os seus compromissos financeiros, levando em conta todas as suas despesas, sejam elas atuais ou relacionadas a períodos passados.

Rosendo de Sousa Júnior
Consultor - Sebrae-SP 


Fonte: Site SEBRAE-SP

 

 

 

Sobre a Autora    -     Contato     -     Mapa do Site     -     Política de Privacidade