Cursos 24 Horas

Cursos Online 24 Horas

Cursos Online com Certificado - Educação a Distância - Cursos 24 Horas

Termos Técnicos - Finanças

A_C   D_G   H_M   N_P   Q_W

Q

Quadro de cotações

Local no recinto de negociações das bolsas de valores onde os diversos preços e quantidades de ações negociadas são apresentados.

Quantidade

É a quantidade de ações que foram negociadas pelo mercado até o momento

Quota (de fundo ou clube de investimento)

Parte ideal de um fundo ou clube de investimento, cujo valor é igual à divisão de seu patrimônio líquido pelo número existente de quotas.

R

RCTB

Cesta que contém papéis das holdings criadas com a cisão da Telebrás

RDB

Sigla para Recibo de Depósito Bancário.

Tipo de aplicação em renda fixa, cujo rendimento é uma taxa de juros previamente combinada e negociável diretamente com o banco. O RDB não permite retirada antecipada dos recursos aplicados, nem negociação em mercado secundário.

Receita Bruta

Total de reais recebido pela venda dos produtos ou serviços da empresa, sem qualquer dedução.

Receita Líquida

É a receita bruta menos as devoluções de produtos e os impostos pagos pela empresa.

Recessão

Termo utilizado para designar o crescimento negativo da economia de um país, ou de seu PIB.

Recibo de subscrição

Documento que comprova o exercício do direito de subscrição, passível de ser negociado em bolsas de valores.

Recompra

Termo utilizado para identificar o resgate de um ativo financeiro, antes de seu vencimento.

Recursos Administrados

Valores sobre os quais as decisões de investimento são centralizadas na figura de um administrador ou instituição financeira. Os valores podem ser próprios ou de terceiros.

Recursos de Terceiros

Expressão habitualmente empregada por profissionais de finanças e do mercado financeiro, para designar valores de propriedade de outras empresas ou pessoas. No popular, significa "dinheiro dos outros".

Registro em Bolsa

Condição para que uma empresa tenha suas ações admitidas à cotação em uma bolsa de valores, desde que satisfaça as normas estabelecidas pela mesma.

Regulamento

É o instrumento jurídico que disciplina os direitos e obrigações das partes contratantes, bem como as características gerais do plano de previdência privada, sendo parte integrante da proposta de inscrição e mencionado no contrato.

Renda do Plano de Previdência

É o benefício do plano representado por uma série de pagamentos mensais ao participante ou ao(s) beneficiário(s), calculado de acordo com a Nota Técnica Atuarial e com o tipo de renda mensal contratado.

Renda Fixa

Tipo de aplicação na qual a rentabilidade pode ser determinada previamente ou que segue taxas conhecidas do mercado financeiro. São exemplos de renda fixa CDB ,Certificado de Depósito Bancário, e debêntures.

Renda Variável

Tipo de investimento no qual a rentabilidade não pode ser determinada na data da realização do investimento. Uma aplicação é considerada renda variável quando o retorno ou rendimento desta aplicação é pouco previsível pois está sujeita a grandes variações de acordo com o mercado. Ações de empresas são exemplos de renda variável.

Rentabilidade

Medida de ganho financeiro nominal sobre o total do investimento, expressa em termos percentuais. Ex.: Um investimento inicial de R$ 100,00, que hoje vale R$ 105,00, gerou um ganho financeiro nominal de R$ 5,00 e uma rentabilidade de 5%.

Reserva Matemática de Benefícios a Conceder

É o saldo individualizado, apurado durante o período de diferimento, decorrente da movimentação de recursos de cada participante e/ou das contribuições da Instituidora, sendo seu valor atualizado diariamente em função da valorização das cotas do FIFE.

Reserva Matemática de Benefícios Concedidos

É o montante de recursos destinado a garantir o pagamento de benefício do plano de previdência, constituído pela movimentação e remuneração de recursos tranferidos individualizadamente da reserva matemática de benefícios a conceder, na data de concessão do benefício.

Reservas Cambiais

São ativos seguros (baixa volatilidade), como o dólar americano ou o ouro, mantidos dentro do país.

Reservas Internacionais

Ver reservas cambiais.

Resgate

O ato de retirada, pelo investidor, do total ou parte dos recursos investidos em determinada aplicação. Ex.: Um investidor possuia uma aplicação de R$ 1.000,00 em um fundo de investimento e resgatou R$ 500,00.

Resgate Automático

É um tipo de resgate previamente programado pela instituição financeira, não necessitando da ordem ou comando por parte do investidor, no momento do resgate.

Resgate do Plano de Previdência

É o pagamento, total ou parcial, ao participante ou beneficiário(s), da reserva matemática de benefícios a conceder, durante o período de diferimento.

Resgate Mínimo

É o valor mínimo que pode ser retirado (sacado) pelo investidor de uma determinada aplicação. Resgates inferiores a esta quantia não são permitidos pelo fundo de investimento. O valor do resgate mínimo varia de fundo para fundo.

Resistência

Jargão utilizado frequentemente pelos profissionais do mercado financeiro que sugere um limite de alta de alguma ação, título ou índice. Ex.: O Ibovespa tem uma resistência em 7000 pontos, o que significa dizer, sob a ótica da análise gráfica, que o mercado financeiro acredita que dificilmente o Ibovespa superará a marca dos 7000 pontos.

Resolução

Norma legal reguladora do mercado financeiro emitida por agências federais como por exemplo o Banco Central e CVM.

Resseguro

É a operação de que se vale um ou mais seguradores para transferir a resseguradora o excesso de responsabilidade que ultrapassa o limite de sua capacidade de retenção de riscos. Diminui sua responsabilidade na aceitação de um risco considerado perigoso.

Retrocessão

Operação de que se socorre o ressegurador para repassar ao mercado segurador nacional os excessos e responsabilidades que vão alem dos limites de sua capacidade de indenizar.

Reuters

Agência internacional de notícias e informações.

Risco

Grau de incerteza da rentabilidade (retorno) de um investimento. Ex.: afirmar que um investimento é de alto risco significa que temos pouca chance de prever com precisão a rentabilidade deste investimento. Em contrapartida, esse investimento oferece possibilidade de retorno superior a um investimento conservador. No jargão financeiro, a palavra "risco" está sempre associada à probabilidade de ganhos ou perdas acima ou abaixo da média de mercado. O investidor deve estar atento a essa diferença, porque na linguagem cotidiana a palavra "risco" muitas vezes é usada para indicar a possibilidade de perda/diminuição ou manutenção do estado atual, excluindo a possibilidade de ganho/ retorno/crescimento.

Risco

Significa o evento incerto que independe da vontade das partes (Segurado e Segurador) e contra o qual é feito o seguro.

Risco de Crédito

Termo que associa determinado título à probabilidade do mesmo não poder ser honrado, pelo emissor, no caso de um evento imprevisto. Ex.: no caso de falência de uma empresa as debêntures, de emissão da mesma, dificilmente serão honradas.

Royalty (Royalties)

Valor pago ao detentor de uma marca, patente, processo de produção, produto ou obra original pelos direitos de sua exploração comercial.

S

S&P 500

Índice elaborado pela consultoria americana Standard & Poor´s, que reflete o desempenho na Bolsa de Valores de Nova York. Um comitê da Standard & Poor`s elege as 500 companhias líderes nos setores mais importantes da economía

norte-americana para compor este índice. Juntamente com o Dow Jones, o S&P 500 está entre os indicadores mais usados para acompanhar o mercado de capitais dos Estados Unidos.

Sala de negociação

Local adequado ao encontro dos representantes de corretoras de valores e à realização, entre eles, de transações de compra e venda de ações/opções, em mercado livre e aberto.

Securitização

Operação financeira que faz a conversão de um empréstimo (dívida) e outros ativos, em títulos negociáveis (securities). Chamamos de securitização o ato de, por exemplo, pegar um empréstimo, dividir em partes, transformar em títulos negociáveis e vender estes títulos a investidores.

Securitização de Recebíveis

É a transformação de um recebível (um título cujo valor será recebido num momento futuro) em títulos negociáveis para vendê-los a investidores. Um dos objetivos da securitização de recebíveis é a redução do risco da carteira de investimentos, ao mesmo tempo que aumenta a possibilidade de rentabilidade para o investidor.

Segmentação

Separação e classificação por algum critério pré-estabelecido. Ex.: a segmentação dos fundos de investimento do banco é feita por grau de risco.

Segunda Linha

Jargão utilizado no mercado financeiro para caracterizar um tipo de ação. Ações de segunda-linha são aquelas que apresentam menor liquidez do que as blue chips, nas bolsas de valores.

Segurado

Pessoa física ou jurídica, em nome de quem se faz o seguro e que se compromete a pagar um prêmio à Seguradora.

Segurador

Empresa legalmente constituída para assumir e gerir riscos, devidamente especificados no contrato de seguro. E quem paga a indenização ao Segurado ou aos seus Beneficiários, no caso da ocorrência de sinistro.

Seguro

Contrato em que uma das partes (SEGURADOR) se obriga para com a outra (SEGURADO), mediante o recebimento de uma importância estipulada (PRÊMIO), a indenizá-la de um prejuízo (SINISTRO), resultante de um evento futuro, possível e incerto (RISCO), indicado no contrato.

SELIC

Sigla de Sistema Especial de Liquidação e Custódia.

Sistema computadorizado, em tempo real, do Banco Central, ao qual apenas as instituições credenciadas no mercado financeiro têm acesso.

A função do SELIC é receber o título do vendedor e transferi-lo ao comprador, ao mesmo tempo em que recebe o dinheiro do comprador e o repassa ao vendedor. Através do Selic os negócios têm liquidação imediata. O Selic também monitora as reservas financeiras dos bancos.

Série de opções

Opções do mesmo tipo, sobre a mesma ação-objeto, com o mesmo mês de vencimento e o mesmo preçode exercício.

Sinistro

Realização do risco previsto no contrato de seguro causando danos materiais ou pessoais ao segurado ou a seus beneficiários. Ocorrência do risco, cujas conseqüências economicamente danosas estejam cobertas pela apólice. Pode ser total ou parcial.

SISBACEN

Sigla para Sistema de Operações, Registro e Controle do Banco Central É o instrumento de comunicação computadorizado do Banco Central com as instituições financeiras, que por sua vez têm seus computadores conectados a esse sistema. Recebem informações do Bacen e enviam dados sobre suas operações financeiras e cambiais.

Smart Card

É um cartão de crédito que contém um chip que o permite agregar novas utilidades, como uma agenda eletrônica onde você pode armazenar dados pessoais.

SND

Sigla para Sistema Nacional de Debêntures.

Parte do sistema CETIP e sua função é manter registros e cadastros de todas as debêntures emitidas e negociadas no mercado Sobrevalorização.

Termo utilizado para expressar que determinado ativo está valendo mais do que seu valor real.

Sobras de subscrição

Direitos referentes ao não exercício de preferência em uma subscrição.

Sociedade Anônima

Empresa que tem o capital dividido em ações, com a responsabilidade de seus acionistas limitada proporcionalmente ao valor de emissão das ações subscritas ou adquiridas.

Sociedade corretora

Instituição auxiliar do sistema financeiro, que opera no mercado de capitais com títulos e valores mobiliários, em especial no mercado de ações. É a intermediária entre os investidores nas transações em bolsas de valores. Administra carteiras de ações, fundos mútuos e clubes de investimentos, entre outras atribuições.

Sociedade distribuidora

Suas atividades tem uma faixa operacional mais restrita do que o das corretoras, já que elas não tem acesso as bolsas de valores e de mercadorias. Suas atividades básicas são constituídas de: Subscrição isolada ou em consórcio de emissão de títulos e valores imobiliários para revenda. Intermediação da colocação de emissões de capital no mercado. Operações no mercado aberto, desde que satisfaçam as condições exigidas pelo BC.

Sociedades Seguradoras

Empresas que têm como atribuição administrar eficientemente os seguros que lhes são confiados. Operam na aceitação de riscos de seguro e respondem junto ao Segurado pelas obrigações assumidas. Atuam respeitando a política traçada pelo CNSP.

SOMA

Sigla para Sociedade Operadora de Mercado de Acesso. Vide mercado de balcão.

Split

Elevação do número de ações representantes do capital de uma empresa pelo desdobramento, com a correspondente redução de seu valor nominal.

‘Spread

Diferença entre o preço de compra e de venda de um título ou moeda. É, em última instância, o lucro da operação financeira. Também vale para as taxas de juros.

Straddle

Compra ou venda, por um mesmo investidor de igual número de opções de compra e de venda sobre a mesma ação-objeto, com idênticos preços de exercício e datas de vencimento.

strike

preço de exercício

Subscrição

Lançamento de novas ações, por uma sociedade anônima, com a finalidade de obter os recursos necessários para investimento.

Subscrição de Ações

É um direito estendido aos acionistas para aquisição de ações da empresa, quando esta decide emitir novas ações para aumentar seu capital. O preço e prazo oferecido aos acionistas são pré-estabelecidos.

Sucess Fee

Sinônimo de taxa de performance. Taxa percentual cobrada pelos bancos sobre uma parcela da rentabilidade do fundo de investimento, que exceder a variação de um determinado índice previamente estabelecido. Ex: Se a taxa de performance é de 25% sobre o IGPM, significa que este percentual será cobrado sobre os rendimentos que ultrapassarem a variação do IGP-M no período.

Súmula da Andima

É a publicação da Andima que contém toda a legislação referente a produtos, ativos e operações específicas do mercado financeiro. São atualizadas à medida que a legislação é modificada. Nesta súmula estão inclusos, entre outros, os seguintes títulos: swap, derivativos, debêntures, notas promissórias.

Superávit Primário

É o valor que o governo gasta a menos do que arrecada, excluído do cálculo a dívida pública.

Suporte

Jargão utilizado frequentemente no mercado financeiro que sugere um limite de baixa de alguma ação, título ou índice em um momento no tempo. Ex: O Ibovespa tem um suporte em 7000 pontos, o que significa dizer que o mercado acredita que dificilmente o Ibovespa cairá abaixo desta marca.

Swap

Jargão utilizado no mercado financeiro para um contrato de troca, seja ele de moedas, commodities ou ativos financeiros. Ex: Se você tiver um ativo que rende uma taxa pré-fixada, por meio de um contrato de swap, pode trocá-lo por um ativo que renda variação cambial mais um coupom.

T

Take One

Proposta de adesão para um cartão encontrado em diversos estabelecimentos. O cliente o preenche com seus dados e envia pelo correio para a instituição.

Tarifa por extrato

Alguns cartões cobram esta tarifa, justificando o preço do envio, confecção e compensação do extrato.

Taxa de Administração

Taxa cobrada pela instituição financeira pela administração de um fundo de investimento. Como se trata da remuneração do serviço prestado pela instituição, fica a critério dela estabelecer o valor percentual dessa taxa, que no entanto está pré-estabelecida no regulamento do fundo. Todo fundo de investimento tem uma taxa de administração. Fundos diferentes têm taxas diferentes.

Taxa de Administração (Cartão de Crédito)

Taxa cobrada pelas adminstradoras de cartões por cada operação. Pode existir também uma taxa mensal.

Taxa de Câmbio

Valor para conversão entre 2 moedas. Ex.: A taxa de câmbio entre o real e o dólar é de R$ YY por um dólar, ou seja, preciso de YY reais para comprar 1 dólar.

Taxa de Crescimento

Variação de um determinado indicador durante um período de tempo. Um dos indicadores mais usados é o PIB: taxa de crescimento do PIB, significando a taxa de crescimento da economia de um país.

Taxa de Custódia

Taxa cobrada pela corretora de valores mobiliários pela manutenção das ações de seus clientes sob sua guarda (responsabilidade).

Taxa de Ingresso

É uma taxa cobrada pelos bancos para a entrada do investidor em alguns tipos de investimentos. Alguns bancos cobram taxa de ingresso em seus fundos de investimento, o que significa dizer que caso o investidor queira comprar cotas desse fundo, ele pagará um percentual para poder adquirir as cotas desejadas. Esta taxa é normalmente expressa em termos percentuais. No Brasil, no momento, nenhum fundo de investimento cobra taxa de ingresso.

Taxa de Juros

É a taxa cobrada para empréstimos de dinheiro e seu valor expressa o custo do dinheiro no mercado. É um ganho para o emprestador e uma despesa para o tomador do empréstimo.

Taxa de Performance

Taxa percentual cobrada pelos bancos sobre uma parcela da rentabilidade do fundo de investimento, que exceder a variação de um determinado índice previamente estabelecido. Ex.: se a taxa de performance é de 25% sobre o IGP-M, significa que este percentual será cobrado sobre os rendimentos que ultrapassarem a variação do IGP-M no período.

Taxa Efetiva

É a taxa que determina a rentabilidade final de um investimento, indicando o ganho/perda do investidor.

Taxa Interna de Retorno

É um taxa que visa determinar a rentabilidade de um investimento ou projeto

Taxa Over

É uma metodologia de cálculo para a taxa de juros, utilizada apenas no Brasil, remanescente do período de taxas inflacionárias altas. Atualmente é utilizada como padrão para empréstimos entre bancos.

TBAN

Vide TBC.

TBC / TBAN

Siglas para Taxa Básica do Banco Central e Taxa de Assistência do Banco Central.

São utilizadas nos empréstimos de liquidez dos bancos junto ao Banco Central e por este definidas no final do mês anterior ao de suas vigências, em reunião específica do Comitê de Política Monetária (COPOM). A frequencia de utilização e o tipo de garantia dado pela instituição financeira é que determinarão o custo do empréstimo de liquidez (redesconto). Nas melhores condições será utilizada a TBC (piso da taxa do Bacen) e nas piores a TBAN (teto da taxa do Bacen).

TBF

Sigla para Taxa Básica Financeira.

Criada com o objetivo de alongar o perfil das aplicações em títulos com uma taxa de juros de remuneração superior à TR. Sua metodologia de cálculo é idêntica à da TR, com a diferença fundamental de que não se aplica nela o redutor.

TDA

Sigla para Títulos da Dívida Agrária.

É uma das chamadas "moedas podres".

Timing

Jargão utilizado no mercado financeiro para indicar o momento mais adequado para realizar determinada ação financeira - investir, resgatar, comprar, vender.

Titular de opção

Aquele que tem o direito de exercer ou negociar uma opção.

Titularidade

A propriedade de um determinado ativo. Ex.: titular de cotas do fundo de investimento significa que se trata do proprietário das cotas desse fundo.

Título de Capitalização

Modalidade de investimento com características de um jogo no qual se pode recuperar parte do valor gasto na aposta. Sem ajuda da sorte, o rendimento será provavelmente inferior ao da tradicional caderneta de poupança. Do valor aplicado pelo investidor, a instituição financeira separa um percentual para poupança, outro para os sorteios e um terceiro para cobrir suas despesas. Esses títulos são interessantes para quem gosta de jogar, com a vantagem de que caso não ganhe, uma parte do investimento será recuperada.

Título patrimonial da bolsa

Desde que autorizada pelo Banco Central do Brasil, no qual deverá previamente se registrar, a sociedade corretora deverá adquirir um título patrimonial da bolsa de valores em que desejar ingressar como membro.

Títulos

Papéis ou certificados que representam um determinado capital. Podem ser emitidos por instituições públicas, privadas ou mistas, com o objetivo de captar recursos. Tais títulos são muito negociados entre pessoas e entidades.

Títulos da Dívida Externa

O Governo Federal visando obter dinheiro no exterior para financiar sua operação, pode vender títulos da dívida externa a investidores estrangeiros que emprestam seu dinheiro em troca de uma taxa de juros definida. O IDU (interest due unpaid) é um exemplo de um título da dívida externa.

Títulos de Capitalização

Certificados emitidos pelas empresas de capitalização em favor dos respectivos tomadores. Os portadores dos títulos pagam à vista ou mensalmente à sociedade o valor do titulo, formando assim um capital, acrescido dos juros acumulados, a ser recuperado ao final do prazo de vencimento do titulo ou através de sorteios.

Títulos Estaduais

Um Estado querendo captar recursos, visando conseguir dinheiro para seus investimentos, vende títulos estaduais aos investidores que no ato dessa compra estão emprestando seu dinheiro ao Estado, em troca de uma taxa de juros sobre o valor emprestado.

Títulos Municipais

Um Município querendo captar recursos, visando conseguir dinheiro para seus investimentos, vende títulos municipais aos investidores que no ato dessa compra estão emprestando seu dinheiro ao Município, em troca de uma taxa de juros sobre o valor emprestado.

Títulos Pós-fixados

Modalidade de investimento cuja rentabilidade varia de acordo com a variação de um índice específico. Ex.: As NTNs (Notas do Tesouro Nacional) estão pagando uma taxa de juros de 12% + TR (Taxa Referencial).

Títulos Pré-fixados

Modalidade de investimento cuja rentabilidade é conhecida no momento da aplicação. Ex.: As LTNs (Letras do Tesouro Nacional) estão dando uma rentabilidade de 23% a.a. (ao ano).

Títulos Privados

Uma empresa privada visando conseguir dinheiro para investimentos ou qualquer outra finalidade, vende títulos privados para investidores que em troca de emprestarem seu dinheiro recebem uma taxa de juros sobre o dinheiro emprestado. Ex.: debêntures.

Títulos Públicos

Uma autarquia pública visando conseguir dinheiro para investimentos ou qualquer outra finalidade, vende títulos públicos para investidores que em troca de emprestarem seu dinheiro recebem uma taxa de juros sobre o dinheiro emprestado.

TJLP

Sigla para Taxa de Juros de Longo Prazo.

Criada para estimular os investimentos nos setores de infraestrutura e consumo. A TJLP é válida para os empréstimos de longo prazo, seu custo é variável mas permanece fixo por períodos mínimos de três meses.

TR

Sigla para Taxa Referencial de Juros.

A TR foi criada no Plano Collor II com a intenção de ser uma taxa básica referencial dos juros a serem praticados no mês. Atualmente é utilizada no cálculo do rendimento de vários investimentos, tais como títulos públicos, caderneta de poupança. E também em outras operações, tais como empréstimos do SFH, pagamentos a prazo e seguros em geral. A metodologia de cálculo da TR tem como base à taxa média mensal ponderada ajustada dos CDBs prefixados das 30 instituições financeiras selecionadas, sendo eliminadas as duas de menor e as duas de maior taxa média. A base de cálculo da TR é o dia de referência, sendo calculada no dia útil posterior. Sobre a média apurada das taxas dos CDBs é aplicado um redutor que varia mensalmente.

Trading Post

Sistema de negociações contínuas realizadas por meio de postos de negociações, tendo como objetivo dar homogeneidade aos trabalhos, em função da quantidade de negócios, permitindo, assim, distribuir uniformemente o fluxo de operações pelo recinto (sala de negociações).

Transações Correntes

Corresponde a soma das balanças comerciais, de serviços e das transferências unilaterais.

Transferência de Cotas

É um dos caminhos para se trocar o titular das cotas, apenas uma forma de trocar o dono das cotas de um determinado fundo.

Trava de baixa

Estratégia utilizada para limitar o prejuízo, que combina a venda de uma opção de compra (call) simultaneamente com a compra de uma outra opção de compra (call).

Tributação

Cobrança de impostos devidos.

U

UEE

Sigla de União Econômica Européia. Designa o mercado comum da Europa.

Underwriters

Instituições financeiras especializadas em operações de lançamento de ações no mercado primário. No Brasil, tais instituições são, em geral, bancos múltiplos ou bancos de investimento, sociedades distribuidoras e corretoras que mantêm equipes formadas por analistas e técnicos capazes de orientar os empresários, indicando-lhes as condições e a melhor oportunidade para que uma empresa abra seu capital ao público investidor, por meio de operações de lançamento.

Underwriting

A tradução literal é subscrição. Os bancos de investimento montam operações financeiras nas quais intermediam a colocação (lançamento) ou distribuição de ações, debêntures ou outros títulos mobiliários, para investimento ou revenda no mercado de capitais, recebendo uma comissão (fee) pelos serviços prestados, proporcional ao volume do lançamento.

V

Valor de exercício da opção

Preço de exercício por ação, multiplicado pelo número de ações que compõem o lote-padrão de uma opção.

Valor de exercício da opção

Preço de exercício por ação, multiplicado pelo número de ações que compõem o lote-padrão de uma opção.

Valor de Mercado

Termo utilizado no mercado financeiro para indicar o valor que um proprietário receberia por um ativo, caso este ativo fosse vendido na data de hoje no mercado.

Valor intrínseco da opção

Diferença, quando positiva, entre o preço a vista de uma ação objeto e o preço de exercício da opção, no caso de uma opção de compra, e entre o preço de exercício e o preço a vista, no caso de uma opção de venda.

Valor Mobiliário

Expressão genérica que caracteriza papéis e títulos com valores móveis, tais como títulos da dívida pública, ações, CDBs, títulos de renda fixa ou variável.

Valor Nominal

Valor nominal da ação é o valor mencionado no estatuto social de uma empresa e atribuído a uma ação representativa de seu capital. Não existe relação entre o valor nominal de uma ação e seu valor de mercado, ou seja, quando é negociada.

Valor Patrimonial da ação

Resultado da divisão entre o patrimônio líquido e o número de ações da empresa.

Valor Presente Líquido

Também conhecido pela sigla VPL.

Expressão utilizada na área de finanças para analisar investimentos em projetos. O VPL é usado para se determinar quanto o projeto valeria hoje. No cálculo, desconta-se o fluxo de caixa gerado pelo projeto usando uma taxa representativa do risco.

Valor unitário da Ação-VUA

Quociente entre o valor do capital social realizado de uma empresa e o número de ações emitidas.

Valorização da Carteira

Indicador divulgado em termos percentuais que visa traduzir o ganho de valor da carteira de investimento durante um determinado período de tempo.

Variação

Diferença entre os preços de um determinado título em dois instantes considerados.

Variação Cambial

Percentual divulgado que indica a variação da taxa de câmbio num determinado período de tempo.

Variação Negativa da Cota

Percentual divulgado que indica a desvalorização (perda de valor) de uma cota, durante determinado período de tempo. Significa dizer o quanto o valor da cotação de um título ou fundo de investimento caiu.

Variação Positiva da Cota

Percentual divulgado que indica a valorização (ganho de valor) de uma cota, durante determinado período de tempo. Significa dizer o quanto o valor da cotação de um título ou fundo de investimento aumentou.

Venda em margem

Venda, a vista, de ações obtidas por empréstimo, pelo investidor, em uma sociedade corretora que opere em bolsa. È uma modalidade de operações da Conta Margem.

Viés

Tendência verificada na análise de algum fenômeno da natureza ou situação estatística. Ex.: quando analisamos a média de acidentes de automóveis causados por mulheres em relação aos homens (levando-se em conta o total de homens e mulheres dirigindo), deveremos obter uma taxa inferior, dado o VIÉS gerado pela característica mais cautelosa da mulher.

Virar Pó

Gíria do mercado financeiro, vide "pó".

Volatilidade

É um indicador que mede o risco de um determinado investimento. Quanto maior a volatilidade, maior o risco para o investidor, comparativamente aos demais fundos do segmento em questão. O cálculo do indicador considera a dispersão para cima ou para baixo da rentabilidade diária em relação à média da rentabilidade em determinado período (desvio padrão). Mede também o grau médio de variação das cotações de um título ou fundo de investimento, em um determinado período de tempo. Alta volatilidade significa que o valor da cota apresenta forte variação.

Volume

É o volume financeiro, dinheiro, negociado por um determinado papel ou pela bolsa

Voto

Direito que tem o proprietário de ações ordinárias (ou preferenciais não destituídas dessa faculdade) de participar das deliberações nas assembléias gerais.

W

Warrants

Títulos que dão ao seu portador o direito, mas não a obrigação, de comprar ações ordinárias de uma empresa a preço fixo dentro de um certo período.

É também um certificado de garantia de depósito de mercadorias em armazéns de exportação, configura-se num instrumento de crédito, conferindo ao seu possuidor direito real de garantia sobre a mercadoria armazenada

A_C   D_G   H_M   N_P   Q_W

 

 

Sobre a Autora    -     Contato     -     Mapa do Site     -     Política de Privacidade